26.5.17

5 fatos sobre a música de Lauryn Hill

Uma das artistas mais fundamentais da cena do hip hop feminino completa hoje 42 anos!



A matriarca do rap contemporâneo é uma das grandes influências para 9 entre 10 mulheres da cena do hip hop mundial. Já em suas influências, ela mescla o hip hop a elementos de soul, R&B, pop e reggae. Não foi por acaso que ela se destacou pela primeira vez com covers de Bob Marley & The Wailers e Lori Liebermann, ainda com o grupo The Fugees em 1996. De família musicalmente ativa - sua mãe tocava piano e seu pai cantava em boates locais e casamentos - Lauryn cresceu ouvindo nomes como: Curtis Mayfield, Stevie Wonder, Aretha Franklin, e Gladys Knight. Desde criança, Hill cantava e fazia pequenas participações em programas de televisão e filmes. Seu envolvimento com o grupo de rap e rhythm & blues começou aos 13 anos.



Em 25 de agosto de 1998,  Hill se lançou "solo" com The Miseducation of Lauryn Hill. Foi seu primeiro e último álbum de estúdio, concebido em meio a dificuldades pessoais. Ela queria fazer “música sincera”, diz Chris Nickson em sua biografia da artista – e foi isso o que ela fez.

“[Queria] escrever canções que mexessem comigo, que tivessem a integridade do reggae, a força do hip-hop e a instrumentação do soul clássico”, disse ela à revista Roling Stone em 1999. “[Eu e meu engenheiro trabalhamos num] som cru. Gosto que as pessoas consigam ouvir a voz arranhando. Não quero que tirem [essa característica].”

Após um hiato, Laurinha apresentou o MTV Unplugged; um álbum autobiográfico que fala de suas decepções pessoais, tanto com a gravadora, e seu lado espiritual. O mais intrigante neste novo álbum ela se recusa a cantar musicas de seu álbum anterior, todas as faixas são emocionantes, ele revela muito segredos sobre o mundo da musica.
A ex-integrante dos Fugees não anunciou planos para um disco novo, mas vem se apresentando com mais frequência. Ela gravou músicas novas, como “Neurotic Society” e “Black Rage”.

Ainda assim, nada do que ela fez teve o mesmo impacto sobre o hip-hop e o R&B como seu álbum solo de estreia. Veja como The Miseducation of Lauryn Hill redefiniu a música negra na atualidade.


1. Ela derrubou barreiras para artistas negras.

Miseducation derrubou barreiras. Apesar de não ter sido a primeira a brincar com os dois gêneros, as canções de Hill ecoaram com as massas por causa do casamento entre hip-hop e R&B. O disco vendeu mais de 420 000 cópias na primeira semana, ultrapassando o recorde de Madonna, e desde então já vendeu mais de 17 milhões de unidades no mundo inteiro. “O que Lauryn está fazendo é abrir as portas para artistas mulheres que não são materialistas nem estão mostrando os peitos”, disse RZA, do Wu-Tang Clan, à MTV, em 1998. “Ela representa uma beleza e uma pureza que são mais reais. Ela faz música que as pessoas entendem, e é por isso que tem tanto sucesso.”



2. “Miseducation” foi o primeiro disco de hip-hop a vencer o Grammy de Álbum do Ano.

Hill não abriu as portas da indústria da música só para as mulheres, mas também para todo o gênero do hip-hop. Em 1999, ela foi indicada para 10 Grammys e ganhou 5 deles, na época um recorde para uma mulher. Suas cinco estatuetas criaram uma audiência mais ampla para o hip-hop e ajudaram o gênero a conquistar o mainstream.



3. O disco foi um ato de feminismo sutil e sincero.

Pouca gente sabe que Hill estava grávida quando criou sua obra-prima. A MC e compositora rejeitou a ideia de que é necessário escolher entre família ou carreira. A quarta faixa, “To Zion”, era uma homenagem a seu filho, que estava em sua barriga na época da concepção do álbum. “‘Olhe para sua carreira’,/ disseram eles/ ‘Lauryn, baby, use a cabeça’/ Mas decidi usar meu coração”, canta Hill, fazendo referência àqueles que sugeriram que ela abortasse para não comprometer sua carreira.


4. Ela foi uma das pioneiras das letras conscientes no hip-hop.

Hill estava “desperta” antes de Talib Kwele, Kanye West e Kendrick Lamar despontarem no cenário. Ela colocou testemunhos pessoais em suas letras. Hill ajudou a abrir uma avenida para o diálogo de consciência social na música, falando de objetividade sexual em “Doo Wop (That Thing)” e de relacionamentos fracassados em “Ex-Factor” e outros tópicos considerados tabu na época.

Em 1999, ela previu que a indústria da música estava prestes a mudar, mesmo que não soubesse da sua importância para muitos dos artistas de hoje. “Acho que agora estão mais à vontade para brincar com os parâmetros, escrever de forma intensa”, disse ela à Rolling Stone.



5. As músicas dela transcendem o hip-hop e o R&B.

O soul e a verdade de Miseducation derrubaram barreiras na indústria musical, especialmente para artistas negros. Este ano, o disco foi incluído na coleção da Biblioteca do Congresso. D’Angelo afirmou que “igrejas estavam substituindo Deus nas letras [de ‘Nothing Even Matters’] . É significativo quando fazem uma versão gospel de uma música secular.”

Pode-se dizer também que é esse seu lado de ir “contra a maré” que dá o tom do disco. A tal “má educação” do título vem como constatação de que ela nunca aprendeu nada direito, nada como as pessoas esperavam que ela aprendesse, daí sua vida não seguir os caminhos convencionais e, consequentemente, sua música ser também tão livre de regras. E é aí que está a maior graça disso tudo. Lauryn diz: “Quando era jovem, não percebia que a habilidade de compor um hit era um dom raro. Era tão natural que acabava presumindo que todos sabiam fazer aquilo."



The Miseducation of Lauryn Hill é pura genialidade musical e influenciou artistas como Adele, Beyonce, Talib Kwele, Kanye West, Nas, Jon Legend (que se lançou tocando piano em “Everything is Everything”) e muitos outros. Legend disse à Rolling Stone: “Ela foi melhor que qualquer um. As pessoas ainda tentam capturar aquele instante.”

Ninguém sabe se o mundo vai ver outro álbum de estúdio de Hill, mas o impacto do seu disco de estreia é inegável.


Lauryn Hill ao vivo no Tom Brasil em São Paulo, Brasil, em 2007.
Foto de Daigo Oliva

Parabéns, hoje e sempre, Lauryn Noel Hill!

Com informações de HuffPost - Tradução livre do texto de Taryn Finley  

10.5.17

Show do Bilhão! Forbes divulga lista dos 5 rappers mais ricos de 2016

Por muitos anos, a lista Forbes dos 5 artistas mais ricos do hip-hop foi formada pelas mesmas figuras: Diddy, Birdman, Dr. Dre, Jay Z e 50 Cent.


1.360 milhões de motivos para sorrir!

O último deles faliu no ano passado e acabou saindo do ranking e abriu espaço para Drake, que tem uma fortuna conquistada graças à música e a negócios com marcas como Nike, Apple e Sprite – um patrimônio estimado em US$ 60 milhões.

Apesar de ainda faltar muito para que Drake chegue perto do primeiro colocado Diddy – que registra um patrimônio de mais de US$ 750 milhões –, o próprio declarou que lucrar é um dos seus principais objetivos.

1. Sean “Diddy” Combs (US$ 750 milhões)



Chame-o como quiser, Puff Daddy ou apenas Diddy, o fato é que em 2015 o artista viveu como seu próprio disco, batizado de MMM – Money Making Mitch (algo como fazedor de dinheiro), graças ao seu acordo com a vodca Cîroc, da Diageo. Também vale lembrar que seu canal de TV Revolt, sua linha de roupas Sean John e sua marca de água Aquahydrate ajudam na manutenção da fortuna.
Acompanhamos - de camarote, bebendo gela e tomando Cîroc - o rapper no topo dessa lista, pelo segundo ano consecutivo.

2. Andre “Dr. Dre” Young (US$ 710 milhões)



Há dois anos, as vendas da superprodução Beats By Dr. Dre garantiu ao músico e produtor a maior quantia de dinheiro feito em um só dia na história. Agora, ele tem em sua conta uma quantia de mais de nove dígitos e propriedades que até um bilionário invejaria.
O som dos milhões caindo na conta deve ser lindo, saindo de um Beats by Dre!

3. Shawn “Jay Z” Carter (US$ 610 milhões)



O rapper nascido no Brooklyn possui várias holdings, porém, no ano que passou, o Tidal, seu serviço de distribuição de música por assinatura, acelerou o crescimento da sua fortuna. A companhia possui agora 3 milhões de assinaturas pagas, o que faz com que valha três vezes mais do que o preço estimado da companhia, de US$ 56 milhões.
Mas sabemos que a fortuna de valor inestimável é o combo "Beyoncé + Blue Ivy + xs gêmexs". <3 p="">
4. Bryan “Birdman” Williams (US$ 110 milhões)



O artista acaba de subir uma posição na lista, apesar da perda de US$140 milhões na comparação com o ano passado. Um dos motivos é que Lil Wayne, o principal artista agenciado pela Cash Money Records – propriedade de Birdman – tem diminuído seu ritmo de lançamentos.

5. Aubrey Drake Graham (US$ 60 milhões)



Conhecido por todo mundo pelo nome do meio, o canadense está próximo dos 30 anos e, de presente, ganhou um lugar na nossa lista pela primeira vez. O próprio declarou que planejava ter cerca de US$ 250 milhões aos 29 anos. Apesar de não ter conquistado tudo isso até este momento, ele está no caminho certo!

Esta lista traz valores líquidos, ou seja, que realmente foram embolsados pelos rappers após pagamento de impostos, segundo informou a Forbes.

Com informações de Forbes Brasil

5.5.17

Adidas + Pharrell: Conheça o novo sneaker da coleção Adidas Originals = Pharrell Williams Hu




A parceria de sucesso adidas Originals = PHARRELL WILLIAMS segue firme em 2017!
De laços fortalecidos, [com direito à mimos para os gêmeos Williams] marca e cantor trabalharam sem descanso na criação de um tênis minimalista, porém versátil e surpreendente.
Conheça o HU Icons, o novo modelo, que é só um gostinho do que virá para o segundo semestre.

2.5.17

"Rimas e Melodias" falam sobre suas influências no hip hop

Formado pelas cantoras Tatiana Bispo e Alt Niss, pela DJ Mayra Maldjian, pelas cantoras e rappers Tássia Reis e Drik Barbosa, e pelas rappers Karol de Souza e Stefanie, o projeto musical "Rimas e Melodias" tem como proposta trabalhar tanto com a resistência do rap quanto com a delicadeza do neo soul em suas composições - daí a relação com o próprio nome do coletivo.
O viés feminista e racial fala alto no projeto e não à toa. Em um meio ainda comumente dominado por homens - embora tenhamos presenciado cada vez mais mulheres se unindo e ganhando força na cena -, as integrantes escolheram se posicionar nas letras para discursar a favor do papel da mulher negra na sociedade. "É um tema que permeia as composições porque a gente aborda as nossas vivências com o racismo que temos que enfrentar diariamente e as dificuldades que sentimos por sermos mulheres", diz Drik. "Acreditamos que isso tem que ser falado e discutido, e gente quer colaborar para fortalecer a autoestima de todas."


27.4.17

Winnie Harlow estrelando na campanha do Nike Air VaporMax "Asphalt"

Chantelle Brown-Young, a jovem de 22 anos de nome artístico Winnie Harlow, já é um ícone de beleza não convencional.



Com a pele marcada pelo vitiligo, a modelo canadense segue como exemplo de determinação, coragem e autoaceitação desde que despontou no Next Top Model da América.

26.4.17

Beyoncé brinda um ano de "Lemonade" com um programa de bolsa de estudos! Saiba tudo sobre o "Formation Scholars".

Okay ladies, 
Now let’s get in formation!


Para celebrar um ano de lançamento de “Lemonade”, Beyoncé Knowles-Carter botou tudo que canta nas músicas em prática! Em comemoração ao álbum mais vendido de 2016, a Deusa do ShowBussiness lançou o "Formation Scholars". A iniciativa funciona como um programa de bolsas voltado para jovens mulheres que, segundo o site oficial da cantora, “não têm medo de pensar fora da caixa, e são corajosas, criativas e confiantes”. O projeto visa incentivar a carreira de mulheres na área de “creative arts”, como música, literatura e estudos afro-americanos.

13.4.17

Apresentação Musical de Nara Couto

Tenho certeza que vocês já tiveram a curiosidade de saber a playlist daquele artista que você admira,
o que elx houve pra inspirar e fazer o som que inspira você! Sendo assim, eu resolvi encerar a cara e perguntar... já que o dito popular diz que não ofende!
Temos a primeira! É uma honra estrear com a baianíssima Nara Couto.
Vale anotar todas as dicas culturais do bate-papo com ela, que saiu do Curuzu e desponta para o mundo com sua voz encantadora!



Milíssima: Vamos começar do básico... me conta quais são as músicas que mais tocam seu radinho atualmente!
Nara Couto: Eu sou uma senhorinha (rs*) sou capaz de ouvir o mesmo CD durante anos e ainda me surpreendo com o que ouço, música pra mim é isso, vive dentro da gente mesmo com o tempo.
Atualmente tenho ouvindo poucas coisas, vou pontuar o que tenho ouvido nos últimos dois meses.

1.4.17

Big Sean entra para o time de embaixadores da Puma

De olho no poder de influência de Big Sean, a PUMA formou recentemente uma parceria com o rapper Big Sean.



O multi-platina e influenciador digital, acaba de assinar como colaborador criativo e embaixador global da marca esportiva. A lista de parceiros que emprestam a sua criatividade e inspiram novos produtos só cresce!

31.3.17

Tress,o "instagram" do cabelo afro já está disponível em iOS

O apoio entre as mulheres em transição capilar é algo admirável, são inúmeras comunidades de trocas de experiências sobre cabelos crespos e cacheados. Agora muitas poderão ter mais uma ferramenta de apoio na palma da mão!



Três empresárias africanas tiveram uma sacada incrível: reunir referências e uma rede de contatos em um único aplicativo.

27.3.17

MiMi Facts! 10 curiosidades sobre a aniversariante do dia, Mariah Carey.

Quem chegou aos 47 anos hoje? Mariah Carey!

Vejamos 10 fatos - que talvez você não saiba - sobre essa ariana de personalidade excêntrica que amamos!


1) Ela teve uma Mamãe Pulso Forte


Mariah Carey nasceu em 27 de Março de 1970, em Nova York. Seu pai, um engenheiro aeronáutico de ascendência afro-venezuelana e sua mãe, filha de irlandeses, se separaram quando ela tinha três anos de idade, ela e seu irmão mais velho ficaram sob guarda da mãe, Patricia Hickey.
Patricia era uma Cantora mezzo-soprano, atuava em óperas no teatro municipal da cidade, cantava jazz e era uma rígida professora de canto.
Percebeu o talento herdado quando a filha tinha dois anos, quando encontrou a menina imitando com perfeição sua ópera.
Desde então se tornou sua principal incentivadora, e aplicou suas primeiras aulas de canto quando ela completou 4 anos. Mas a estrela buscou seu caminho e independência desde muito cedo. No colégio, já escrevia suas primeiras músicas, nesta época decidiu mudar de cidade. Em Manhattan, estudou cosmetologia, trabalhou como esteticista, camareira e outros bicos; enquanto não encontrava oportunidades no cenário musical.

24.3.17

Levi's e New Era apostam na NBA para o outono-inverno

Se depender da Levi's e New Era, vai ter casaco quentinho e estiloso para o próximo inverno!


A marca americana de denim anunciou a pouco - mais precisamente na semana do NBA All-Star - o lançamento de uma linha de roupas dedicada à paixão esportiva americana, o basquetebol.

Jaquetas jeans, suéteres de algodão, camisas xadrezes, uma jaqueta sherpa e jaquetas de treinador ostentam o logo dos mais famosos times da NBA: Golden State Warriors, os Lakers de Los Angeles, os Bulls de Chicago, os Knicks de Nova York e os Celtics de Boston.

23.3.17

Pharrell Williams: o primeiro homem numa campanha de carteiras Chanel

O it-boy Pharell Williams, no alto dos seus 43 anos, é o primeiro homem a protagonizar uma campanha de bolsas da Chanel! 
O artista se junta a Kristen Stewart, Cara Delevingne e Caroline de Maigret - também embaixadoras da marca - para revelar a nova carteira Gabrielle.



22.3.17

Apresentação Musical de Mila Felix: Jorge Duílio ... ou Jorge Ben

Abro um anexo da minha apresentação musical para falar sobre a obra do aniversariante do dia!
Não tem como falar da trilha sonora da minha vida sem citar Jorge Duílio. 


O nome artístico fica à critério. O fator que difere quem fala 'Jorge Ben Jor' e não 'Jorge Ben' é o mesmo para quem fala 'bon jovi' ao invés de 'jon bon jovi'!
Tudo é questão de ordem cronológica... eu conheci em 1.900 e 80 e poucos como Jorge Ben... simplesmente!
Um LP coletânea de samba-rock que carrega as minhas primeiras lembranças musicais, tinha "Frases"... os acordes dos 12 segundos iniciais são tão cravados na minha memória afetiva que acredito que vou levá-los para outras vidas, considerando que ouvia na barriga da minha mãe, antes mesmo de sair para essa...

11.3.17

adidas Originals apresenta linha EQT... e Milíssima estava lá!

No sábado, dia 04 de março, adidas Originals apresentou sua linha EQT durante festa fechada para convidados da marca, em São Paulo.


A linha Equipment surgiu nos anos 90 focada no que era essencial ao atleta: performance, design e conforto. Agora, quase três décadas depois, ela volta dentro do streetstyle da Originals como item colecionável. Mantendo o conceito inicial, os produtos foram adaptados a um mundo que é constantemente bombardeado por informações e tendências.

6.3.17

Apresentação Musical de Mila Felix .2 | Música da Alma!

Algumas postagens atrás: Apresentação Musical de Mila Felix .1 | O centenário Samba!

""Sem deixar de lado o samba, relembro as antigas festas de família. Alí conheci um outro samba, reinventado e tipicamente paulistano. Admirava da escada meu tio comandando a vitrola e as tias gingando e cruzando os braços num balé encantador. Com muita criatividade os pretos sincronizaram os passos do twist americano com as cordas elétricas ao som de Jorge Ben, Wilson Simonal, Trio Esperança, Branca de Neve, Trio Mocotó e Bebeto.

Mas festa ficava animada mesmo com o Soul Funk Gringo. James Brown e Ray Charles eram os mais pedidos. 
"Hit the road Jack and don’t come back no more no more no more no more".
 Meu tio dizia que aquele som era quente!""
Arte do designer Fuse Green
Continuando...

Sim... tão quente que eu ouvia um barulho de alguma coisa fritando... Era a agulha passando no vinil. "Isso aqui é relíquia! É importado!", se gabava o deejay familiar. Por vir da gringa, e passar de mão em mão até chegar naquela festa; a bolacha não estava lá em perfeito estado... mas trabalhava bem e fazia a pista improvisada no quintal ferver!